Status

Somos de Onde Queremos Estar

Nem sempre conseguimos estar onde queremos, mas nada nos pode impedir de ser de onde queremos estar!

Eu cá tenho muito orgulho das minhas origens e de sentir que pertenço a esta pequena e humilde terra que dá pelo nome de Soito de Aguiar da Beira. Tal como muitos outros, faço parte de uma geração que nasceu, cresceu ou vive longe do Soito, mas sempre que posso lá vou eu pra “Casa”. Infelizmente o trabalho e a vida puxam-nos pra longe mas o coração esse só tem um sentido.

Soito

Foi numa visita virtual que descobri o site da União de Freguesias de Soito e Valverde por acaso. Só posso dizer que fico muito feliz por ver um site moderno, funcional, actualizado e que permite uma maior partilha de informação entre todos. Muitos Parabéns.

http://www.ufsoutovalverde.com/

Aproveito também para me alegrar com o facto desta União entre Freguesias ter decorrido de forma tão tranquila e harmoniosa fruto da grande proximidade que sempre existiu entre as duas Freguesias. Fomos rápidos a perceber que não havia outra alternativa e a assumir que juntos somos mais fortes. Mais uma vez parabéns a todos.

E como a Saudade já é muita e ainda falta algum tempo até ao mês de Agosto, vou aproveitar o fim de semana livre para ir ao Soito fazer uma pequena visita aos meus pais. Aos que ainda têm mais um mês e meio pela frente antes de poderem regressar deixo um forte abraço.

Gabriel Lopes

PS: Nunca vou deixar de dizer/escrever Soito para passar a dizer/escrever Souto. Nem que viva 100 anos. =)

Aguiar da Beira – Reciclagem

 A Reciclagem é um daqueles assuntos que gera um contra-senso inexplicável na sociedade actual. Se por um lado a maioria da população assume conhecer os benefícios da reciclagem, também é certo que a maioria da população continua a ter uma inércia no momento de separar os resíduos que produzem e a coloca-los no local correcto.

E como será que está o concelho de Aguiar da Beira no que toca a este tema?

Em termos de estruturas existem 23 ecopontos espalhados pelas 10 freguesias e um ecocentro na estrada nacional 330. Na tabela seguinte é possível ver a localização e a capacidade de cada uma destas estruturas vocacionadas para a recolha selectiva de Vidro, Papel/Cartão e Embalagens de Plástico/Metal.

Quadro - AGB Reciclagem

Fonte: Planalto Beirão

No que diz respeito à periodicidade da recolha destes resíduos, é efectuada quinzenalmente no caso do Papelão e do Embalão e mensalmente para o Vidrão.

No que toca às estruturas existentes e ao serviço prestado pode dizer-se que é suficiente e adequado às necessidades do concelho, resta saber se a população tem correspondido ao desafio de separar os seus resíduos?

Recorrendo aos dados disponibilizados pelo Instituto Nacional de Estatística entre 2002 e 2011 é possível observar a evolução de indicadores como a recolha de resíduos urbanos ou a recolha de resíduos urbanos selectivos referentes ao Município e comprá-los com os valores nacionais. O gráfico seguinte condensa esses dados.

Gráfico - AGB Reciclagem

Fonte: Elaboração Própria com dados provenientes da INE

Analisando a recolha de resíduos indiferenciados é possível retirar algumas ilações:

  1. Evolução da recolha de resíduos indiferenciados:

Entre 2002 e 2011 a recolha de resíduos indiferenciados cresceu 44% em Aguiar da Beira, valor muito acima dos 10% a nível nacional. Apesar da produção anual dos aguiarenses (363Kg/hab em 2011) continuar a ser inferior à média nacional (487Kg/hab em 2011), o ritmo de crescimento desses resíduos é bem mais rápido.

  1. Evolução da recolha de resíduos selectivos:

A recolha selectiva de resíduos cresceu 77% no Município de Aguiar ficando no entanto muito aquém dos 252% a nível nacional. Estamos a separar mais, mas ainda muito longe da média nacional.

  1. Recolha Selectiva vs Recolha Indiferenciada:

Em 2011, cada Aguiarense separava em média 20Kg de resíduos por ano (6,3% dos resíduos indiferenciados que produz) enquanto a média nacional se situava nos 77Kg/ano (15,2% dos resíduos indiferenciados produzidos);

Resumindo, temos estruturas e serviços adequados no entanto não estamos a aproveitá-los como deveríamos. Muito há a fazer neste aspecto para poupar o ambiente, diminuir a pressão sobre a floresta, solos, aquíferos, criar empregos, etc… E aqui só depende de cada um querer fazer parte da solução e tornar Aguiar da Beira numa referência também neste aspecto.

Gabriel Lopes

Aguiar da Beira – Transportes Públicos

Os Transportes Públicos são extremamente importantes nos grandes meios urbanos por questões físicas, (tráfego mais fluído, menos engarrafamentos), ambientais, (redução das emissões de CO2), e económicas (os custos associados à utilização dos Transportes Públicos são consideravelmente inferiores aos do Transporte Individual).

Nos meios rurais, o Transporte Público é ainda visto como pouco expressivo, muitas vezes porque não lhe é dada a devida importância pelo poder local. Mas num tempo em que a desertificação assola o interior do país e as dificuldades económicas conduziram a uma maior concentração de serviços, escolas, unidades de saúde, etc, nas sedes de concelho é importante olhar e pensar os transportes públicos como uma solução para muitas deslocações diárias/esporádicas das populações.

Olhando para realidade actual do concelho de Aguiar da Beira no que diz respeito a esta temática, existe uma pequena rede de transportes públicos constituída por 5 linhas de autocarro que ligam as várias localidades à Escola da Vila, assegurando simultaneamente o transporte escolar e do público em geral.

Para se ter uma noção da cobertura da rede resolvi criar um diagrama de rede com base na informação disponibilizada no sítio de Internet da Câmara Municipal, atribuindo uma cor cada um deles e dando uma nova imagem aos horários.

Diagrama da Rede (2013/2014):

Transportes AGB - 2013-2014

Horários dos Circuitos:

Como se pode constatar, o serviço chega a quase todas as localidades do concelho, no entanto, para além da população estudantil, a população em geral desconhece os percursos, os horários, os tempos de viagem ou os tarifários dos autocarros que servem as suas aldeias. Isto acontece porque o serviço não é divulgado, a informação é escassa e não está articulado com as necessidades das pessoas.

Quando se planeia uma rede de transportes é preciso pensar nas pessoas, conhecer as suas deslocações e criar soluções que vão de encontro às suas necessidades, sem esquecer o transporte escolar.

Falando em concreto da realidade do concelho, existem uma série de medidas que poderiam ser adoptadas para melhorar a abrangência e qualidade do serviço, nomeadamente:

1. Divulgar os serviços existentes nas Juntas de Freguesias, nas paragens de autocarros e até nos sítios de Internet da Escola, Câmara Municipal, Unidade de Saúde, etc. Isto faria com que mais pessoas conhecessem o serviço e pudessem passar a contar com ele como uma alternativa. Uma medida implicaria custos muito reduzidos a implementar;

2. Criar de 2 novas paragens (Centro de Saúde e Centro da Vila onde se encontram os principais serviços municipais e o comércio local) estendendo o percurso das 5 carreiras antes ou após a paragem na escola. Isto permitiria as pessoas irem às compras, ao médico, à escola ou tratar de assuntos pessoais usando o transporte público. A implementação desta medida não implicaria grandes custos uma vez que bastaria prolongar em 1,5 Km os percursos actuais;

3. Criar um horário a meio do dia de modo a permitir uma maior liberdade aos utilizadores possibilitando que estes passem apenas a manhã ou a tarde no destino em vez de ter de passar o dia todo no destino como acontece actualmente. Esta medida melhoraria consideravelmente a qualidade do serviço, no entanto, acarretaria um  investimento consideravelmente maior e dependeria muito da procura existente.

Estas e outras medidas poderiam melhorar muito a qualidade dos transportes públicos em particular e a qualidade de vida das populações do concelho em geral.

Gabriel Lopes